Bando rouba chácaras e ameaça por fogo em vítimas em VG

Nos roubos, a quadrilha agia com truculência, agredindo e amarrando as vítimas, em sua maioria idosos

Da Redação

Três suspeitos de integrarem uma associação criminosa que agia com truculência em roubos na zona rural de Várzea Grande foram presos na quinta-feira (10) pela Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Várzea Grande (DERF-VG). As investigações, conduzidas pelo delegado Afonso Monteiro da Silva Junior, apontam que os detidos estão envolvidos em, pelo menos, dois roubos a chácaras.

Eles atuavam com grave ameaça e extrema violência à integridade física das vítimas. Ambos os assaltos ocorreram no mesmo dia, 08 de janeiro.

O primeiro foi realizado na madrugada, por volta das 03h da manhã, o segundo roubo ocorreu por volta das 21h30, em uma chácara no assentamento Nossa Senhora Aparecida, também em Várzea Grande. Nas duas ações as vítimas foram agredidas fisicamente com coronhadas e socos. Elas também foram amarradas.

No primeiro roubo os criminosos subtraíram itens de valor na residência (eletrodomésticos, joias, e um veículo Saveiro). Na segunda ação dos bandidos foram levados dois veículos (um Corola e uma motocicleta XRE), além de joias e R$ 50 mil em espécie.

Os trabalhos de investigação apontaram que os suspeitos Igor Silva Guimarães, 24, (conhecido como “Jangada”) Romário Silverio Lima, 29, e Fagner Castro Soares, 28, atuaram nos dois roubos. Contudo, “existe a suspeita que eles tenham atuado também em outros roubos na região, em razão do registro de assaltos em que os criminosos atuaram com o mesmo modus operandi e violência”, explica o delegado à frente das investigações.

Submetidos a atos de reconhecimento, os criminosos foram apontados por algumas das vítimas como os autores dos roubos. Os três detidos ostentam vasta ficha criminal em delitos patrimoniais.

Conduzidos à delegacia, após diligências ininterruptas desde a data do crime, os suspeitos foram flagranteados por roubo majorado (pelo concurso de pessoas, emprego de arma de fogo e restrição a liberdade das vítimas) e associação criminosa.

O trio foi encaminhado para audiência de custódia, com a representação pela conversão do flagrante em prisão preventiva, ficando à disposição do Judiciário.

Para o delegado Afonso Monteiro da Silva Junior, as prisões são de grande importância para o enfrentamento aos delitos patrimoniais na cidade de Várzea Grande, em especial os cometidos nas propriedades rurais localizadas no município. “Em razão da periculosidade, a Polícia Civil espera que os criminosos sejam mantidos encarcerados o maior tempo possível”, destaca o delegado.

A Derf de Várzea Grande continua com as investigações para identificar outras ações realizadas pelo grupo na região, e também para identificar e prender eventuais comparsas dos detidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *