Câmara exonera mais 27 e quer mudar imagem em Cuiabá

Misael Galvão pretende se aproximar dos segmentos sociais

RODIVALDO RIBEIRO

Da Redação

Presidente da Câmara Municipal de Cuiabá, o vereador Misael Galvão (PSB) assinou a exoneração de 27 servidores na quarta-feira (09), em ato publicado no Diário Oficial de Contas na quinta (10), e também readmitiu um dos mandados embora antes, Willyan Phelip Garcia Reis, cuja exoneração publicada na segunda (7) foi tornada sem efeito dois dias depois.  No total, Misael já havia exonerado 67 servidores.

Todas essas pessoas ocupavam cargos como coordenador de licitação, assessor parlamentar externo, chefe de núcleo de patrimônio e almoxarifado e coordenador de cultura e resgate histórico. A justificativa dada pelo atual mandatário é que todos estes ocupavam cargos de confiança e foram nomeados nos tempos do ex-presidente Justino Malheiros (PV).

A intenção agora, segundo o vereador, além de reduzir em 14 o número de contratações para a ocupação desses postos, é melhorar a situação da Câmara Municipal aos olhos da população. O presidente disse que “adora desafios” e “cumprir regras e fazer as coisas certas”.

Resgatar a imagem da câmara, apelidada de Casa dos Horrores, apesar de difícil, não é impossível, considera, e não precisa de grandes fórmulas além das que já tem. “O que vamos fazer é cumprir o Regimento Interno. Temos regras que regem nossa casa”, disse.

E negou com veemência a informação dando conta de que a redução de servidores não diminuiria os gastos e ainda os aumentaria. “Não vai aumentar custo nenhum. Conseguimos fazer essa reengenharia e ainda economizar cargos, não aumentaremos um centavo [em relação ao] ano passado”, disse.

Ele justificou as demissões afirmando que desde 2009 não existia uma reestruturação de cargos na Câmara e isso foi gerando acúmulo de pessoas e subtilização de assessores em alguns setores enquanto havia falta destes em outros. “Agora temos tudo organizado e função para cada um. Retiramos algumas funções de outros cargos e fizemos essa demissão em massa. Também foi aprovado um novo projeto de lei que organiza os comissionados. Tá tudo organizado para fazermos um trabalho produtivo para a sociedade cuiabana”.

Segundo ele, agora todos terão metas a serem cumpridas. “É para isso que estamos ali. É o que vou fazer”. Afirmou ainda que retirou inclusive pessoas da presidência para serem utilizadas em outros setores. “Não havia necessidade de tantos assessores, porque temos que fortalecer é a casa [e não a presidência]. Não houve redução de custos, mas ficou equalizado. Alguns cargos mudaram, 14 foram reduzidos, outros reestruturados, diretor virou coordenador, criamos uma secretaria geral, reorganizamos a secretaria de comunicação e a secretaria geral. Agora haverá um trabalho institucional, com os órgãos de controle e a sociedade, para termos uma dinâmica maior”, prometeu.

Afirmou que outro dos objetivos é reaproximar a sociedade da Câmara, que fora afastada nos tempos de Justino Malheiros trabalhando “com a verdade, a transparência e a realidade”. E nunca deixar de conversar com a sociedade “para fazer com que a informação chegue na ponta, no cidadão”. “Queremos orientar a sociedade a acompanhar os passos da câmara. Com todo respeito ao companheiro Justino, mas cada um tem sua característica, e eu não abro mão da minha. Se precisar ir à tevê 10 vezes, eu irei, mas também quero convidar a sociedade a participar, pois vamos fazer nosso papel e quero o apoio da sociedade”, encerrou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *