Copiloto resgatado após queda de avião continua tratamento em Cuiabá

Comandante Marcelo Balestrin recebeu alta do hospital, mas continua o tratamento em casa

G1-MT

O comandante Marcelo Balestrin resgatado junto com o piloto John Cleiton Venera depois de ficarem cinco dias desaparecidos após queda de avião, recebeu alta do hospital em que estava internado desde o dia 4 de dezembro, e continua o tratamento em casa, em Cuiabá. Quase quatro meses do acidente, Marcelo já passou quatro cirurgias no cotovelo direito, uma no calcanhar direito e outra no tornozelo esquerdo.

De acordo com a mulher do comandante, Francismara Souza, o estado de saúde dele é estável. Ele continua tomando medicação para se recuperar das cirurgias e faz fisioterapia para melhorar a coordenação motora. “Depois do susto, vivemos o alívio. O Marcelo está se recuperando bem e logo iremos para casa”, disse ela.

Apesar do susto, a mulher de Marcelo diz que ele pretende voltar a voar e não vê a hora de receber alta para trabalhar. O casal, que mora em Pimenta Bueno (RO), está em uma casa cedida por um dos médicos que faz parte da equipe que acompanha o tratamento dele.

Em sistema de home care, ele tem sessões de fisioterapia e acompanhamento de outros profissionais. O avião em que John e Marcelo estavam perdeu contato com o órgãos de controle a cerca de 120 km de Cuiabá, no dia 30 de novembro do ano passado, após decolar de um aeroporto em Pimenta Bueno.

O comandante Marcelo acompanhava o piloto John. Ele iria buscar outra aeronave na capital mato-grossense.

Como não chegaram ao destino, tanto empresa para a qual os dois prestavam serviço, quanto as equipes de segurança começaram a fazer buscas na região onde o sinal da aeronave desapareceu. Os dois foram encontrados cinco dias depois, em uma região de mata, próximo à Serra do Mangaval, em Cáceres, a 220 km de Cuiabá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *