Encontro do setor de reparação automotiva de MT discute tendências do mercado para 2019

Especialista fala em uma ação em conjunta com autoridades e empresas a fim de produzir um certificado de qualidade para o segmento

Lousdembergue Rondon / assessoria

Da Redação

Brasil possui 42 milhões de veículos leves, 2,4 milhões de veículos pesados e 15,7 milhões de motocicletas. Mato Grosso tem uma frota total de 456 mil veículos. Com mais de 3 mil empresas de reparação, incluindo oficinas mecânicas, borracharias e empresas de acessórios. Dados como este fizeram parte da palestra ‘Tendências do Setor de Reparação Automotiva para 2019’, outros destaques foram novas tecnologias, políticas ambientais e programas de qualidade. O debate ocorreu no primeiro Encontro Empresarial do Setor de Reparação Automotiva, realizado nessa sexta-feira (14.12), em Cuiabá.

Organizado pelo Sindicato Intermunicipal da Indústria de Reparação de Veículos e Acessórios do Estado de Mato Grosso (Sindirepa/MT), o encontro reuniu empresários vindos de todas as regiões mato-grossenses para assistir a palestra da noite, ministrada pelo executivo do Sindirepa Nacional, Sérgio Alvarenga. Para o palestrante especialista na área automotiva, faz-se necessário movimentos estratégicos para manter o setor competitivo.

“Nesta nova era, os nossos clientes se fazem também de motoristas de aplicativos de carona paga, que são exigentes quanto ao custo dos serviços. Os aplicativos desmotivam o consumidor comum em comprar o carro. Além disso temos que lidar com o fato do mercado de peças online, como reparadores, temos de garantir a qualidade das peças que serão utilizadas”, disse.

Segundo Alvarenga, o setor precisa investir em certificação para as oficinas mecânicas, a fim de torná-las referência aos consumidores na hora da procura. E este trabalho pode ser uma ação em conjunto com as autoridades, o sindicato, empresas de qualificação e as oficinas. Denominado Programa de Incentivo a Qualidade (Piq), prevê o aprimoramento dos processos, satisfação do cliente, redução de custos e permanência no mercado.

“É de interesse da sociedade que as empresas tenham um certificado ambiental e de qualidade dos serviços. Às empresas precisam adaptar o plano de negócios às novas necessidades e expectativas dos clientes. Há possibilidade de parcerias com redes de oficinas e trabalhar com credencias acreditadas. O Piq inclui a organização, gestão financeira, equipamentos, compra de peças, processos e qualificação da equipe”, explicou.

De acordo com o presidente do Sindirepa/MT, Fausto Koga, o encontro é uma oportunidade para o empresário conhecer o novo cenário. “Conseguimos trazer os associados para compreender as novidades do mercado e as exigências quanto ao processo de trabalho. Mato Grosso é um Estado com muito potencial de crescimento e o sindicato busca ajudar os empresários a adaptar seus negócios às tendências e mudanças para o ano de 2019. A entidade atuará neste sentido a fim de trazer maior confiança e qualificação às empresas”, afirmou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *