Estelionatário é flagrado pela PM e oferece R$ 10 mil para não ser preso em VG

Antônio Carlos Rodrigues Alves usa o site OLX para cooptar vítimas

MATHEUS MAURÍCIO

 

Da Redação

Um homem identificado como Antônio Carlos Rodrigues Alves, 24 anos, que já possui 9 passagens criminais, foi preso novamente na noite desta sexta-feira (15) no bairro Mapim, em Várzea Grande. Ele estava portando documentos falsos e estaria andando com uma moto Yamaha de cor preta, que seria roubada, fruto de um golpe que ele aplica na rede OLX.

De acordo com o boletim de ocorrência, os policiais do 4º Batalhão de Polícia Militar estariam andando na região do bairro Jardim Imperial, quando avistaram o indivíduo, e ao fazer a abordagem ele teria apresentado documentos de identidade falsos, em nome de uma pessoa que é moradora de Rondonópolis (212 km ao sul).

Com isso, os PMs puderam identificar que o suspeito já teria usado o nome da pessoa que estaria no documento para aplicar diversos golpes e já até teria sido preso, causando prejuízos em seu nome. Mas, em consultas, este rapaz não teria nenhum tipo de passagem criminal.

Aos policiais, Antônio confessou que já teria várias passagens criminais. Ao se deslocarem a casa do suspeito no bairro Cristo Rei, foram encontrados 3 cadernos que continha vários nomes, dados pessoais de alguns cidadãos, dados de veículos e contas bancárias na qual ele utilizava para aplicar seus golpes por meio do site OLX.

Já sobre a motocicleta, o acusado disse que era de sua propriedade mas, após checarem, os PMs identificaram que estava em nome de outra pessoa. Segundo boletim de ocorrência, o rapaz teria comprado o veículo do suspeito e pela quantia de R$ 12 mil, pagando prestações de R$ 1 mil. Somente após quitar a parcela, o rapaz iria pegar a moto.

Logo após isso, Antônio acabou confessando que o veículo era fruto de um golpe e que ele estaria também dando outro golpe com esta pessoa que teria a comprado.

Diante dos fatos, os suspeito foi encaminhado para a Central de flagrantes para as devidas providências e, no ato da prisão, ainda teria oferecido R$ 10 mil para os policiais não o prenderam. Ele também teria oferecido a moto roubada em troca da liberdade.

Toda a situação agora passa a ser investigada pela Polícia Civil.

Fonte: Folhamax

Foto: Divulgação Polícia Militar

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *