Vereadores se desentendem em votação para taxar Uber em Cuiabá

Da REDAÇÃO

 

 

Com os Ânimos exaltados marcaram a sessão na Câmara dos Vereadores de Cuiabá para taxação ou não dos aplicativos de transporte, como Uber e 99Pop, na capital durante a manhã desta terça-feira (14).

Entre as propostas previstas estão a criação da uma taxa de R$ 155, bem como vistoria da Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob) nos veículos e criação de taxa de 5% de Imposto Sobre Serviço (ISS).

Aplicativos são regulamentados nacionalmente pelo Congresso Nacional, em Brasília. Contudo, cada Capital pode regularizá-los de maneira individual, criando leis para funcionamento das caronas na cidade. Em Cuiabá, o Uber começou a operar em novembro de 2016.

 

Embate entre interesses dos taxistas e dos motoristas de aplicativos já foi colocado em pauta na Casa de Leis por diversas vezes. Nesta sessão, grupo de deputados estaduais, representantes da Frente de Livre Comércio, liderado por Ulysses Moraes (DC), foi até a Câmara para integrar a votação.

 

Vereador Abílio Junior (PSC), contrário à taxação, se desentendeu com o vereador Renivaldo Nascimento (PSDB) depois de sua fala. Ao sair do púlpito, Abílio se encontrou com o colega e impediu sua passagem.

Confusão também foi registrada entre Renivaldo e assessor do deputado Ulysses Moraes, Rafael Millas, presidente do Movimento Brasil Livre (MLB) em Mato Grosso. Millas teria aplaudido fala de Abílio, o que gerou descontentamento do parlamentar.

“Aplaudi a fala do Abilinho, que foi muito boa, e ele então começou a esbravejar que eu não poderia estar ali. Isso mostra claramente de que lado ele está e qual interesses ele defende”, afirmou Millas.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *